Senado adia votação da reforma da Previdência em uma semana

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado adiou em uma semana a votação da reforma da Previdência, no plenário da Casa, que estava prevista para o dia 18 de setembro, em primeiro turno. De acordo com o calendário final, divulgado pelo colegiado, nesta quinta-feira, a proposta será apreciada no plenário do Senado no dia 24 de setembro em primeiro turno. No dia 10 de outubro, está programada a votação em segundo turno. A promulgação deverá ocorrer na semana seguinte.

Segundo o cronograma, as sessões da CCJ na próxima semana (entre os dias 19 e 22 de agosto) serão dedicadas à realização de audiências públicas, sendo que a do dia 20 vai tratar só da reforma tributária. As demais, da proposta que altera as regras da aposentadoria, diz o Extra.

A previsão é que o relator da reforma da Previdência na CCJ, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) apresente o parecer no dia 28 de agosto. Com pedido de vista, o relatório será votado no colegiado no dia 04 de setembro.

Ficou acertado só haverá sessões deliberativas para votar a reforma da Previdência no plenário durante três dias da semana (terça, quarta e quinta-feira). A explicação é que na segunda e sexta-feira, o quórum é baixo na Senado.

A presidente da CCJ, senadora Simone Tebet (MDB-MS) disse que a próxima semana será de muito trabalho. O secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, participará da audiência na próxima terça-feira. O ministro da Economia, Paulo Guedes, também foi convidado e deve comparecer a uma sessão do plenário para defender a reforma, antes da votação em primeiro turno.

— Será uma semana de trabalho exaustivo, mas extremamente positivo — disse a senadora.

16/08/2019